SUBIR

Parcela do caminhão em atraso? Veja como fazer o reescalonamento da dívida!

Publicado em 08/11/2017 as 11h:31min

Se no seu caso a compra do seu caminhão não aconteceu pelo BNDES, então provavelmente você fez um financiamento comum, como aqueles que fazemos na compra de um carro de passeio.

Se você já está com uma ou mais parcelas vencidas, talvez seja mais difícil conseguir negociar, mas não é impossível.

É importante que você tenha em mente que o efeito “bola de neve” não pode bater à sua porta, quanto mais parcelas vencidas mais fundo será o buraco, e você precisa parar de cavar.

Tenha em mente que a última coisa que o banco quer é o seu caminhão, e a primeira coisa é o seu dinheiro, mesmo que seja menos do que o combinado.

Pense, uma renegociação não é ruim para o banco, desde que o novo acordo possa ser honrado por você. O problema é que muitas vezes este entendimento não chega ao gerente que te atende, ou à central de relacionamento para onde você liga.

Por isto você precisa ser firme, perseverar, para atingir o seu objetivo. Se você não tem tempo então peça para algum familiar tentar por você, pode ser a sua esposa ou um dos seus filhos (se tiver).

Pare de cavar o buraco chorando, e vá atrás da solução dos seus problemas.

Três aspectos devem ser levados em consideração na hora de fazer o reescalonamento das suas prestações:

  1. O prazo para quitação deve ser maior que o original;
  2. Os valores das parcelas devem ser menores;
  3. O custo da nova dívida deve ser menor.

Eu poderia colocar um 4º aspecto, mas ele vai depender da negociação que você fizer. É a taxa de juros, algo fundamental na hora de negociar dívidas, você precisa estar atento à isto, mesmo que tenha aumentado a inflação é preciso perseguir a melhor taxa.

Agora vamos aos 5 passos para fechar um bom acordo.

1. Calma

Mantenha a calma e seja perseverante, não será com uma ligação ou uma visita que você vai resolver o seu problema.

Você precisará dispor de tempo e persistência para chegar lá, procure criar uma rotina de ligar ou visitar o seu gerente pelo menos 2 vezes por semana, até que tudo esteja resolvido.

2. Organização

Faça os cálculos, no detalhe, das suas receitas e despesas, e veja quanto você realmente poderá pagar de prestação, para que não haja novos atrasos após o acordo firmado.

Você pode montar uma planilha no computador, ou fazer na calculadora mesmo, mas é fundamental que você tenha certeza do número.

3. Prudência

Faça um acordo que consiga cumprir e pagar. Caso contrário, o refinanciamento vai virar uma bola de neve e você continuará com o mesmo problema.

Fuja de propagandas que citam:

  • Empréstimo na hora;
  • Empréstimo sem consulta;
  • Empréstimo pessoal para autônomos;
  • Empréstimo empresarial.

Esses serviços são oferecidos pelos bancos e financeiras e, acredite, não vão resolver o seu problema e irão te colocar numa situação ainda pior.

4. Informação

Consulte o PROCON ou a defensoria pública do seu Estado. Eles vão ajudar com informações e acompanhar as renegociações.

5. Justiça

Se a pessoa que te atender no banco não resolver o problema após algumas consultas, então procure o chefe dela, e o chefe do chefe, até conseguir.

Em último caso, se você não conseguir resolver por meios administrativos, então procure um advogado e conte com a ajuda da justiça para chegar num acordo.

Procurar resolver o seu problema não é injusto, injusto é deixar que o problema se agrave sem se preocupar com as consequências.

Fonte: Transporte em Foco com Frete com Lucro



Veja mais Notícias

#grupobotuvera

CURTA, SIGA E COMPARTILHE AS NOSSAS REDES SOCIAIS: