SUBIR

Como economizar no consumo de combustível da sua frota, gerando uma economia de R$ 2 mil por mês em cada caminhão

Publicado em 18/10/2017 as 15h:44min

Consumo de combustível é sem dúvida nenhuma o fator mais importante a observar no seu caminhão ou na sua frota.

Pequenas mudanças no comportamento do motorista, ao dirigir o veículo, podem significar uma economia impressionante ao final de um ano.

Porém, apesar de parecerem mudanças simples (e de fato são) não é fácil colocá-las em prática, é preciso muita força de vontade e perseverança.

Ao longo deste artigo, vou tentar ser o mais completo possível quando o assunto é consumo de combustível, porque entendo que desta forma você terá o máximo de subsídios para fazer a mudança acontecer de fato.

Mesmo que o país não estivesse em crise, ainda assim seria muito importante você colocar tudo o que falaremos em prática, porém a situação econômica te força ainda mais a fazer isso, o que para mim, na verdade, tem um lado bom.

O lado bom é que, quando o Brasil voltar a crescer você estará nadando de braçada, faturando bem e com economias substanciais no consumo de combustível.

Existe uma série de variáveis que impactam diretamente no consumo de combustível, e para cada uma delas você poderá adotar um plano de ação, visando um resultado claro em um tempo estabelecido.

Parece interessante tudo isso? Então continue lendo este artigo para saber mais sobre:

  • Como está o mercado atual em relação ao consumo de combustível
  • Qual é de fato o papel do motorista em tudo isso
  • Como você pode usar a gestão de pessoas como diferencial no processo
  • Quando o veículo efetivamente influencia no consumo de combustível
  • Quais os demais fatores que influenciam no consumo de combustível
  • Sugestão de um plano de ação, para que você mude a realidade do seu negócio

Vamos tornar essa prática comum? Não deixe de compartilhar essa informação com seus amigos.Basta clicar no link para sua rede social favorita aqui abaixo. Não leva nem 10 segundos!

O MERCADO ATUAL

O mercado atual no no consumo de combustível

Para que a gente possa falar com mais propriedade do consumo de combustível, é importante que eu te dê um panorama mais genérico do mercado, explicando alguns fatores que justificam a economia no consumo de combustível.

Evolução do preço do diesel x frete

Evolução do preço do diesel

Em agosto de 2001, um litro de óleo diesel comum custava R$ 0,85. Agora em 2017, o mesmo litro de diesel está custando em média R$ 3,06, ou seja, um aumento de 360% em 16 anos.

Agora eu te pergunto, se você estava no ramo de transporte rodoviário em 2001, e cobrava na época R$ 1.000 por um frete, hoje você está conseguindo cobrar R$ 3.600 pelo mesmo frete?

Eu acredito que não! Infelizmente não temos estudos nos país para confrontar os preços praticados de frete em relação ao diesel, somente existem análise feitas pela NTC a respeito dos custos fixos e variáveis.

Porém, é possível presumir que o transportador rodoviário de cargas não conseguiu repassar completamente os custos e, se conseguiu, foi na época das vacas gordas, hoje em dia a defasagem do frete se acentuou em função da baixa demanda do mercado.

O que as montadoras estão fazendo

Se por um lado o preço dos insumos, como o diesel, sobe todos os dias, por outro lado as montadoras estão fazendo uso da tecnologia, cada dia mais avançada, para reduzir o consumo de combustível nos veículos.

Desde a implantação no Euro 5 no Brasil em 2012, houve um ganho considerável em economia de combustível nos caminhões, e a tendência é aumentar ainda mais essa economia com a tecnologia Euro 6, a ser implantada nos próximos anos.

Além de buscar eficiência em seus motores, as montadoras também investiram pesado em sistemas, tanto embarcados quanto de gestão, para que as empresas de transporte pudessem extrair o máximo rendimento.

Hoje em dia praticamente todas as montadoras dispõem de sistemas, que são comercializados por assinatura mensal, para ajudar o empresário no dia a dia.

E como ficam os veículos antigos?

Isso é um fato, não adianta espernear, um veículo antigo, com idade superior a 10 anos, não pode competir com um veículo novo quando o assunto é eficiência e baixo consumo de combustível.

Apesar disso, infelizmente hoje a frota brasileira tem em média 13 anos (Empresas 10 anos e Autônomos 17 anos), o que prejudica em muito alguns esforços por economia.

Se você está nestas condições, possui um veículo com idade superior a 10 anos, considere fazer as contas, avalie o real consumo (média por litro de diesel) de um veículo mais novo, e a possibilidade de pagar o financiamento somente com a economia gerada.

O PAPEL DO MOTORISTA NO CONSUMO DE COMBUSTÍVEL

Papel do motorista no consumo de combustível

Um motorista de caminhão tem papel fundamental quando o assunto é o consumo de combustível.

Mesmo com um veículo novo, se a ferramenta for utilizada da forma incorreta, o vilão do consumo de combustível irá aparecer da mesma forma.

A tecnologia com carros modernos já existe no Brasil há um bom tempo, e mesmo assim nós vemos muitos profissionais despreparados para exercer a função.

Mas de quem é a culpa? Você já parou para pensar nisso?

Se você é empresário, ou gestor de frota, pode até responder que a culpa está no próprio motorista, que não se prepara adequadamente para atuar no mercado.

Porém, eu no seu lugar pensaria totalmente diferente, porque entre ficar reclamando da má qualificação dos profissionais e continuar perdendo dinheiro, eu iria para a ação imediatamente, fazendo tudo o que fosse necessário para capacitar estes profissionais.

Um excelente motorista precisa, antes de mais nada, querer isso. Porém esse é só o primeiro passo, a empresa também precisa ajudá-lo provendo informação e acompanhamento.

Mas então, o que fazer?

Se eu puder resumir em uma frase o que você deve fazer para que seus motoristas tenham consciência pela mudança, eu diria o seguinte:

Construa valor para estes profissionais, através de regras claras, psicologia e acompanhamento!

É isso mesmo, não adianta achar que se você colocar todos em uma sala de aula, deixar um instrutor falando por algumas horas, vai resolver o problema, porque o buraco é mais embaixo.

Um motorista é, antes de mais nada, um adulto, e como tal tem dificuldade em assimilarimediatamente novas práticas, como uma criança faz naturalmente.

Além disso, mesmo que ele assimile, entenda o que você quer transmitir, e efetivamente coloque em prática os ensinamos de direção extra econômica, deixará de fazer tudo isso em poucas horas ou dias se não houver acompanhamento e motivação.

Então vamos lá, siga estes passos que vou passar agora:

  1. Defina regras claras dentro da empresa, sobre economias no consumo de combustível, estabeleça um ranking de motoristas, premiando os melhores colocados
  2. Esclareça em reuniões estas regras, e mostre que essa economia no consumo será boa para todos, incluindo o motorista e família, além do meio ambiente
  3. Motive-os a praticar os ensinamentos, técnicas aprendidas que fazem toda a diferença na hora de dirigir pela redução de custos
  4. Agora o principal item: acompanhe incansavelmente estes profissionais, da seguinte forma:
    • No início, faça isso diariamente
    • Após uns 15 dias, mude para um acompanhamento semanal
    • Após algumas semanas, tendo bons resultados, mude para números mensais
  5. Tenha em mente que este trabalho nunca irá acabar, só o seu acompanhamento garantirá o resultado, não esqueça disso.

Condução extra econômica

Agora que você já sabe como agir com relação aos motoristas, chegou a hora de entender como funciona a condução extra econômica, com foco na redução extrema de consumo de combustível.

A base deste princípio, criado pelo professor Luiz Antonio Pigozzo, é reeducar o motorista para dirigir olhando para o conta-giros, também chamado de tacômetro, ao invés de olhar para o velocímetro.

Parece simples? Sim, é simples, mas acredite, não é fácil.

 

faixa verde no velocímetro de caminhãoO maior objetivo de fazer o motorista dirigir olhando para o conta-giros é fazer com que ele conduza o veículo dentro da faixa verde, conforme descrito nesta imagem.

A faixa verde, delimitada no conta-giros, indica para o motorista que é a faixa de maior força do motor, e também onde haverá o máximo de economia no consumo de combustível

A questão da inércia e a força da gravidade

Dois aspectos na direção podem trazer um real ganho de combustível, se bem entendidos pelo motorista.

força da gravidade exerce uma pressão sobre qualquer coisa próxima da superfície da terra, ou seja, quando um caminhão está próximo de um aclive, o motorista sabe que precisará de força para subir, porém, da mesma forma a gravidade ajuda quando este mesmo caminhão está em uma descida.

Já a inércia é a resistência de todos os corpos às mudanças do movimento em que se encontram, ou seja, se o caminhão estiver parado, é preciso força extra para tirá-lo do lugar. Agora, quando este mesmo caminhão está em movimento, a inércia se torna nula.

E o que você pode concluir com isso?

Se o motorista souber aproveitar corretamente os momentos antes de uma subida, e também a descida, ele economizará combustível.

Se o motorista conseguir deixar o veículo numa velocidade constante o máximo de tempo possível, evitando paradas bruscas, ele economizará combustível.

Algumas dicas que ajudam na condução extra econômica

  • Antes de sair, não deixe o motor aquecendo, e não fique acelerando para encher os balões de ar
  • Sempre escolha a marcha mais forte para sair com o veículo, pois isso poupa combustível e embreagem
  • Dirija com previsibilidade, utilizando os freios auxiliares para realizar a parada do veículo
  • Não há necessidade de trocar marcha por marcha, tanto para subir quanto para descer. Você pode e deve pular as marchas de acordo com a velocidade do veículo e giro do motor
  • Evite oscilações de velocidade. A cada retomada de velocidade se consome combustível desnecessariamente

GESTÃO DE PESSOAS COMO DIFERENCIAL

Gestão de pessoas no no consumo de combustível

O empresário, ou o gestor de frotas, tem total influência na otimização de uma frota de caminhões.

A postura adotada vai nortear todo o processo, que pode resultar em sucesso, mas também poderá ser um desastre.

É preciso muita perspicácia na hora de implantar um programa de redução no consumo de combustível, e muita dedicação para efetivamente trazer ganhos para a empresa.

Eu vou dividir aqui em 3 etapas, que eu julgo necessárias, para que se possa fazer a gestão da equipe da forma correta:

#1 – Recrutamento e seleção dos motoristas

Mesmo que você fique meses sem precisar recrutar um novo motorista, em algum momento você terá que usar esta etapa, e por isso eu não poderia deixar de falar dela.

Se é tão difícil treinar as pessoas num processo de direção extra econômica, por que você iria contratar alguém que é resistente à mudanças?

Procure selecionar profissionais que demonstrem aptidão em aprender, que sejam maleáveis em prol de um resultado melhor.

É óbvio que todos dirão na entrevista que podem mudar, mas você precisa entender estas características nos detalhes.

Lembre-se que você ainda tem o período de experiência destes profissionais para efetivamente entender se será possível promover uma mudança no comportamento ou não.

#2 – O treinamento

Procure fazer treinamentos periódicos na empresa, que reforcem uma cultura do seu negócio de melhoria contínua.

Um treinamento por si só, solto, pode até ajudar, mas dificilmente traz uma solução duradoura.

Busque aplicar um treinamento que foca na transformação, ou seja, ninguém mais quer saber de aprender conceitos (como fazíamos na escola), o mundo evolui muito rápido e o que vale na verdade é o conteúdo transformador.

#3 – O acompanhamento

Talvez eu esteja exagerando, mas eu acredito que o acompanhamento é ainda mais importante que o treinamento.

Digo isso porque o acompanhamento “fecha” o processo, ou seja, se você acompanhar o projeto vai dar certo.

E se você acompanhou, é porque houve antes o treinamento, porém se você só treinou, as chances de o aprendizado não ter resultados práticos são grandes.

Utilize o conceito do ciclo PDCA na hora de fazer esta implantação e acompanhamento.

QUANDO O VEÍCULO INFLUENCIA

Influência do veículo no no consumo de combustível

Os veículos também têm importante influência no consumo de combustível, e o que percebo é que muitos empresários, caminhoneiros autônomos, motoristas e até gestores de frota ignoram.

Ter um veículo rodando na estrada, em perfeitas condições aerodinâmicas, de peso e estrutura, pode gerar uma economia fantástica no consumo de diesel.

Talvez você possa estar se perguntando agora:

Ah, mas talvez isso tudo me gere apenas uns 5% de economia

Mesmo que a sua afirmação esteja correta, faça as contas quanto 5% de economia no consumo de combustível de um caminhão pesado pode fazer em um ano:

  • Se este caminhão rodar em média 10 mil km por mês, serão 120 mil km no ano
  • Com uma média de 2,5 km por litro, temos 48 mil litros de diesel
  • 5% de 48 mil litros significa uma economia de 2.400 litros de diesel
  • Multiplicando esta quantidade pelo preço médio de R$ 3,25 temos R$ 7.800,00

Agora me diga, quem não quer economizar quase R$ 8 mil por ano, em cada veículo?

Isso porque eu falei em 5% de economia, mas pode ser mais do que isso.

E quais aspectos observar para gerar economia no consumo de combustível?

São duas variáveis que você precisa ficar atento:

Resistência ao ar

É uma questão lógica, quanto maior a resistência ao ar, maiores as chances de o veículo consumir combustível para poder seguir em frente.

A utilização de defletores de ar nos caminhões otimiza as curvas do vento, fazendo com que essa resistência diminua.

Um pequeno erro de ajuste nestes defletores pode aumentar o consumo de combustível em até 1%, ou seja, sempre faça a regulagem quando trocar a carreta, ou variar a altura da carga.

Outra dica é evitar as janelas da cabine abertas, porque isto também compromete a resistência ao ar.

Resistência ao rolamento

Quanto maior à resistência ao rolamento, mais força o caminhão precisará fazer para entregar o mesmo resultado.

Preste atenção em 3 aspectos, para evitar esta resistência:

  • Peso da carga
  • Tipo de piso ou estrada
  • Tipo de pneu utilizado

Melhorando estes aspectos, você otimiza o seu veículo, e contribui para a redução no consumo de combustível.

OUTROS FATORES DE INFLUÊNCIA

Outros fatores para o no consumo de combustível

Como o meu papel aqui com você é a redução máxima no consumo de combustível, nós não podemos deixar de falar sobre outros fatores que também influenciam no consumo, vamos a eles:

Ciclo do diesel

Pare e pense um pouco, quanta coisa acontece com o diesel, do momento da compra, até o seu real consumo.

Para garantir que você está fazendo o melhor negócio, é preciso estar atento à uma série de variáveis:

  • Fornecedor escolhido, tanto em casa quanto na estrada
  • Preço por litro
  • Abastecimento menor em rotas curtas (peso = consumo)
  • Qualidade do produto, o que compromete o consumo
  • Roubos de diesel, que para evitar só com muito controle

Operação

Uma operação bem planejada certamente pode trazer economia no consumo de combustível, pois o gestor de frota pode prever aspectos como:

  • Planejamento das paradas
  • Horários oportunos, em que o veículo pode rodar sem trânsito congestionado
  • Rotas bem mapeadas, evitando desperdícios
  • Manutenções preventivas planejadas

Manutenção

Um programa de manutenção bem construído pode melhorar não somente o consumo de combustível, mas evitar uma série de outros problemas.

É preciso fazer uso de check lists para garantir que o plano de manutenção seja seguido, atentando para variáveis como:

  • Óleo do motor
  • Sistema de alimentação de combustível
  • Sistema de alimentação de ar
  • Sistema de arrefecimento
  • Regulagem de válvulas
  • Sistema de escapamento
  • Pneus

Metas e indicadores

O uso de metas e indicadores pode fazer toda a diferença na gestão pela economia de combustível.

Defina metas, e crie indicadores KPI´s que irão ajudar nas leituras do dia a dia do seu negócio.

Lembre-se, é o acompanhamento que faz toda a diferença, e não a implantação.

PLANO DE AÇÃO

Plano de ação

Eu espero que você esteja animado com tudo o que vimos até agora, e esteja já pensando em como você pode pôr em prática todos os conceitos vistos aqui.

E para te ajudar com isso, eu quero te propor o uso de uma metodologia muito conhecida no meio empresarial, que é o 5W2H.

Através deste método, você poderá criar um plano de ação prático e ágil, como total foco na transformação.

São 7 áreas a serem exploradas:

  • What (o que você deve fazer)
  • Why (porque você está fazendo)
  • Who (quem será o responsável por este projeto)
  • Where (onde o projeto irá acontecer)
  • When (qual será o período do projeto)
  • How (como tudo irá funcionar)
  • How much (quais recursos R$ serão disponibilizados)

Transcreva tudo isso em um papel ou no computador, e desenhe o seu projeto de transformação no consumo de combustível da sua empresa.

Envolva os demais colaboradores, e não deixe para depois, afinal cada dia que passa contribui para o desperdício de dinheiro.

CONCLUSÃO

No título deste artigo, eu falo sobre economizar R$ 2 mil por mês em cada caminhão da sua frota.

Na verdade, este número é uma estimativa feita em pesquisa com quem já utilizou todas as técnicas apresentadas aqui.

No seu caso a economia pode até maior do que essa, só depende de você aplicar corretamente tudo o que foi apresentado.

consumo de combustível pode ser a diferença neste momento, entre ter lucro ou prejuízo na operação.

Sem dúvida muitos outros aspectos podem ser observados quanto o assunto é rentabilidade, mas se você olhar só para este, já poderá ter resultados impressionantes.

E então? O que você está esperando?
Comece hoje mesmo a agir pela economia de combustível. O seu bolso e a natureza agradecem

Grande abraço
Ed Trevisan

crédito das imagens: shutterstock.com

Fontes consultadas:
Pigozzo, Luiz Antonio – Consumo de combustível: Uma questão de atitude / 1ª edição 2015
Softcenter – Controle de Consumo de Combustível: eBook / 2017



Veja mais Notícias

#grupobotuvera

CURTA, SIGA E COMPARTILHE AS NOSSAS REDES SOCIAIS: